insumos-da-fabricação-de-ração-animal

A fabricação de ração animal é um dos setores que mais cresce no mundo. O Brasil é líder de produção na América Latina e, mundialmente, ocupa a terceira colocação, perdendo apenas para a China e Estados Unidos.

Mas, mesmo com a alta capacidade de produção, certos problemas podem acabar trazendo prejuízos para o processo. Os problemas também podem estar ligados à capacidade em escolher, estocar e utilizar os insumos para a fabricação de ração animal.

Sendo assim, é importante que todas as fábricas priorizem certos cuidados em relação as importantes etapas do processo. Dessa forma, garantindo a total segurança e qualidade que o mercado e os órgãos reguladores exigem.

Então, nesse texto, vamos te apresentar os 6 principais cuidados que você precisa tomar com os insumos e ter mais eficiência na fabricação do produto.

1 – Disponibilidade com os insumos

A soja e o milho, no Brasil, são os principais insumos que usamos na fabricação da ração animal. No ano de 2017, cerca de 16 milhões de toneladas de farelo de soja e 44 milhões de toneladas de milho, foram precisos para compor toda a ração produzida.

Sendo assim, um possível desabastecimento dos insumos acaba sendo uma preocupação recorrente das empresas. Pois, em certos casos, isso pode acabar paralisando a fabricação da ração. A variação dos preços e os reduzidos estoques dos armazéns, são algumas das razões que influenciam a redução da oferta desses insumos importantes.

Mas, em relação ao preço, praticamente nada pode ser feito para impedir as variações dos insumos que são mais comuns. Pois, por serem commodities, o mercado é quem regula o preço.

Sendo assim, é muito importante que as empresas com alguma ligação à fabricação de ração animal, procurem desenvolver alternativas para atender as expectativas do sistema produtivo em relação à matéria-prima e sua disponibilidade para a produção.

Duas alternativas que podem te ajudar, são:

  • Adotar o modelo de produção integrada: aqui, as cooperativas vão atrás da soja e do milho, em locais onde os preços costumam ser melhores quando comprados em grande escala;
  • Busque por insumos no exterior: essa alternativa pode ser bastante viável financeiramente, principalmente no Mercosul.

2 – Qualidade do fornecedor e da matéria-prima

Se os ingredientes forem de má qualidade, é quase impossível que a fabricação de ração animal tenha uma qualidade boa. Então, um ingrediente de baixa qualidade, acaba gerando uma ração de baixa qualidade, independente de outros fatores de produção.

Sendo assim, a qualidade da matéria-prima precisa ser o item mais importante e que merece grande atenção na produção de ração. Para alcançar essa qualidade, é importante conhecer bem o seu fornecedor.

Com isso, você vai garantir a qualidade desde a negociação e compra da sua matéria-prima. O comprador acaba ganhando um papel fundamental, com grande responsabilidade, para que a qualidade do seu produto atinja a qualidade desejada.

O ideal, é alinhar o preço com a qualidade. Uma boa relação de custo-benefício vai agregar muito a sua fábrica.

3 – Garantia de qualidade no recebimento dos insumos

recebimento-de-insumos-na-fabricação-de-ração-animal

Um cuidado fundamental, também, é a garantia que os insumos chegarão com total qualidade até a sua fábrica, sem contaminações e danos durante o transporte. Para garantir isso, assim que a mercadoria for entregue, tenha um rigoroso controle de qualidade.

Exija do fornecedor, certificados e laudos de qualidade para que a indústria tenha controle. Além disso, realize todas as análises de granulometria e umidade no recebimento da matéria-prima. Só libere a carga após a aprovação total do setor de qualidade.

Outro ponto importante, é a fábrica contar com equipamentos de qualidade para melhorar ou manter a qualidade de todos os insumos que são utilizados na produção.

4 – Cuidados com ingredientes alternativos

Há alguns casos onde o custo do farelo de soja e do milho se eleva muito, fazendo com que a fabricação de ração animal fique muito cara. Dessa forma, muitas fábricas acabam buscando por fontes alternativas, que utilizam-nas para substituir as fontes tradicionais.

Mas, há certas fontes alternativas que trazem grandes problemas para o processo de fabricação da ração. Um exemplo, são os subprodutos da pecuária processados para obter farinha de origem animal (FOA). Então, tome muito cuidado na hora de adquirir para a sua indústria.

Por isso é tão importante, na hora do recebimento, comprovar a qualidade através de análises químicas, biológicas e físico-sensorial, além de toda a documentação.

Quando falamos de subprodutos de origem animal, as farinhas no caso, tenha um cuidado ainda mais fino. Esses ingredientes podem apresentar dificuldade na padronização, por conta do processo produtivo e da origem de todos os resíduos das farinhas.

5 – Armazenamento e estocagem dos insumos

Assim como a recepção dos insumos tem sua importância para a fabricação de ração animal, o armazenamento e estocagem possuem a mesma ou até maior. Por isso, necessitam de um cuidado especial.

Ou seja, todos os ingredientes que são armazenados na fábrica devem ser mantidos em boas condições, para que mantenham suas características padrão e evitem a deterioração. Além disso, garanta a rotatividade do estoque, o que primeiro entra, primeiro sai.

Organize tudo de modo que não atrapalhe a limpeza do local. Assim, facilita-se, também, o controle de pragas. Aqui, a organização é a base de tudo.

6 – Treinamento dos colaboradores

Todos os cuidados que citamos ao longo do texto dependem, exclusivamente, da tomada de decisão de algum colaborador. Sendo assim, é essencial a máxima atenção em relação na qualidade da sua mão de obra responsável pelo processo de fabricação de ração animal.

Por isso, invista em treinamentos para os colaboradores de todas as áreas. Assim, você pode manter o padrão de qualidade nos insumos utilizados na produção. O pessoal responsável pela compra de insumos, devem ter uma boa relação com os fornecedores, além de saber identificar a qualidade dos mesmos.

Os responsáveis pelo recebimento da carga, precisam de treinamentos para liberarem ou não a entrada daquela matéria-prima na fábrica, levando em conta todos os fatores que citamos no texto.

Com todos esses cuidados, sua fabricação de ração animal será mais segura e eficiente, podendo oferecer as melhores rações. Para conferir mais conteúdos como esse, acesse nosso blog! Nele, falamos tudo sobre o mundo da produção de ração.

Para qualquer dúvida, entre em contato com a gente.

Obrigado pela leitura!

Compartilhe:

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *